Organização Financeira

Categorias

ÁGUA: BONS HÁBITOS REDUZEM DESPERDÍCIO E AJUDAM A DIMINUIR AS DESPESAS

Desde que foi anunciada a escassez da água, em especial na Região Sudeste do país, muito se fala em como economizar o consumo da mesma. Segundo o biólogo marinho Marcelo Szpilman, o uso responsável e com bom-senso no cotidiano é capaz de proporcionar considerável redução no desperdício sem mudar a qualidade de vida. Sem contar que, com o racionamento, o consumidor também pode sentir no bolso a diferença no fim do mês.

“Abrir a torneira da pia só pela metade para diminuir o fluxo de água enquanto lava as mãos, o rosto ou escova os dentes ajuda a evitar o desperdício. Tomar banho fechando a torneira ao ensaboar o corpo e os cabelos pode representar uma economia de até 90 litros de água por banho. Da mesma forma que barbear-se fechando a torneira, quando a água não estiver sendo utilizada, pode produzir uma economia de até 10 litros. Sem falar na habitual e dispensável ‘vassoura hidráulica’ utilizada para varrer e lavar as calçadas, onde o uso de uma vassoura normal economizaria até 250 litros de água por dia”, recomenda Szpilman.

O consultor financeiro Conrado Navarro concorda com o biólogo e ainda complementa as recomendações sugerindo banhos mais curtos, revisões nos sistemas hidráulicos e reutilização de água para limpeza.

“Essas mudanças de hábitos contribuem para uma redução de 20% ou mais nas despesas mensais. Do ponto de vista financeiro, é importante que essa despesa seja interpretada de acordo com os limites do orçamento para que ela não se transforme em uma despesa fixa grande demais”, diz Navarro.

Para Szpilman, quanto à questão da boa utilização da água pela sociedade, ter ou não educação e boa vontade para adotar seu consumo consciente não são por si só relevantes. Por exemplo, para quem mora em apartamento, o uso responsável só viria com mecanismos de controle como uma conta “salgada” no final do mês.

“Diferente da energia e do gás, a água, na maioria dos prédios residenciais, por exemplo, é cobrada do condomínio numa única conta coletiva. Assim, o uso correto desse recurso só seria possível quando todas as residências tiverem seu consumo de água medido por hidrômetros individuais e cobrado em contas separadas”, defende.

Navarro acredita que a questão é de cidadania, ou seja, assumir uma postura pessoal, o que pressupõe usar os recursos com parcimônia, inteligência e bom senso. Para o consultor, a conscientização precisa vir pautada em uma comunicação eficiente.

O entrevistado autoriza o uso de suas declarações.

O portal Você Faz Acontecer e a Losango não se responsabilizam pelo conteúdo.

Esta informação não objetiva dar conselho legal, contabilidade ou taxa. Pessoas acessando estas páginas devem obter orientação apropriada considerando os objetivos do investimento, situação financeira e necessidade. A Organização Financeira oferecida não foi preparada considerando-se objetivos de investimento em particular, situação financeira e necessidades de qualquer investidor em particular. Investidores orientados devem avaliar se é apropriado agir como tal.


Atendimento